terça-feira, 26 de novembro de 2013

O Botox e a odontologia

                         
Também conhecido com toxina botulínica, o Botox vem se tornando um ótimo auxiliar no tratamento de diversos problemas odontológicos. Sua ação está mais evidenciada na medicina estética e dermatologia, mas após estudos científicos, a toxina vem se tornando um aliado também do cirurgião dentista.
O Botox é uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum, ela adere aos terminais nervosos e quando isso acontece, a acetilcolina, neurotransmissor responsável por desencadear contrações dos músculos, não pode ser liberada, impedindo a contração do músculo.
O profissional dentista, pode fazer a aplicação, desde que possua um treinamento específico e conhecimento sobre como utilizar o Botox. Lembrando que seu uso na odontologia, é restrito a meios terapêuticos, suas funções estéticas é atribuição da medicina.
O Botox pode ser administrado com ótimos resultados no tratamento de várias disfunções, tais como:
  • · Sorriso gengival – quando a gengiva aparece em excesso no sorriso e o torna antiestético;
  • · DTM – Dores e disfunções na articulação têmporo mandibular (articulação próxima ao ouvido);
  • · Apertamento Dental – ocorre durante o dia
  • · Bruxismo – quando se range os dentes durante o sono, involuntariamente;
  • · Dores de cabeça de origem odontológica;
  • · Na reabilitação com implantes – principalmente em carga imediata e/ou precoce;
  • · Tratamentos ortodônticos;
  • · Hiperatividade muscular
O que você deve saber sobre o Botox: 
  • · Não causa vício e não é um procedimento irreversível, sendo segura quando aplicada dentro das normas técnicas;
  • · Não é aconselhável o uso em gestantes ou na amamentação;
  • · Tem altíssima toxicidade em grandes dosagens, sendo assim, deve ser manipulada e aplicada por profissional capacitado e regulamentado;
  • · Os benefícios aparecem em alguns dias (entre 2 e 7 dias) após a aplicação, segue-se um período de 1 a 2 semanas de efeito máximo e duram em média entre 3 a 6 meses, quando o nervo está completamente “recuperado”.
Autor: Redação Surya Dental – Fernanda B. Benitte – Graduada em Marketing