sexta-feira, 19 de abril de 2013

Aftas

O que é o que é?...
Todo mundo já teve pelo menos uma ao longo da vida. É um trocinho que dá dentro da boca e que independente do tamanho, dói pra caramba. Tira-nos a vontade de falar, comer, beijar... Cada um tem um “jeito” milagroso pra se curar dela, quando usamos algum remédio ela cicatriza em 1 semana, mas quando não usamos nada, cicatriza em 7 dias... rs
Se você disse afta, acertou e com certeza porque já teve uma.
A lesão de afta é considerada a alteração mais comum da mucosa oral em humanos e se caracteriza por uma lesão circular, claramente definida, dolorosa, com centro necrótico, bordas elevadas, halo eritematoso e limpas, ou seja, não apresentam pus, bactérias ou outros sinais de infecção. Podem ser únicas ou múltiplas, pequenas ou grandes.
É uma úlcera que pode surgir em qualquer ponto da cavidade oral: língua, lábios, gengiva, garganta e úvula (a campainha da boca). Até hoje, não ocorreu a caracterização de um agente etiológico (o agente causador da doença) específico para essa afecção. No entanto, várias são as referências, na literatura, que consideram o estresse um dos fatores predisponentes para sua patogenia.
São lesões benignas, não são contagiosas.
O que pode provocar seu aparecimento?
As úlceras aftosas recorrentes (UAR) têm variadas hipóteses sobre sua etiologia, observando uma grande dificuldade na determinação de uma causa isolada, que possa explicar, adequadamente, a maioria dos casos encontrados; o que evidentemente faz surgir barreiras para um tratamento curativo definitivo.
a) doenças sistêmicas e deficiências nutricionais;
Doenças, como a neutropenia cíclica e agranulocitose, e portadores do vírus HIV, 

problemas gastrointestinais, incluindo doença de Crohn, e colite ulcerativa e como 
deficiências nutricionais às relacionadas ao ácido fólico, zinco, vitaminas B1, B2 e 
B12.
b) alergia a alimentos;
Alergia ao leite da vaca e trigo.
c) infecções;
Associação de uma bactéria ou vírus, que causam as UAR, tem sido sugerida, mas os 
estudos são inconclusivos.
d) predisposições genéticas;
Pacientes com história familiar de UAR podem desenvolver mais cedo esta doença e 
mais severamente que os que não apresentam história familiar.
Outro lado é que as UAR podem estar mais comumente presentes em gêmeos 

idênticos do que entre os não idênticos.
e) desordens imunológicas;
UAR mais comuns em pacientes com doença de Behçet’s e HIV positivos.
A imunopatogênese da UAR pode envolver um desequilíbrio entre células indutoras T. 

helper e células supressoras T. O antígeno, que precipita esta reação é desconhecido, 
mas muitos fatores são incluídos como trauma, microorganismos e alergias a 
alimentos.
f) indução por drogas;
Drogas anti-inflamatórias não esteróides, methotrexato, daunorubicin e medicamentos 
como as penicilinas, sulfanamidas, barbitúricos e foscarnet, devendo-se fazer um 
estudo para a possibilidade de não ser simplesmente uma reação de sensibilidade ao 
uso destes medicamentos.
g) pacientes com HIV;
h) Traumas locais;Como: mordidas acidentais; aparelho ortodôntico;escovação;
alimentos duros;próteses mal adaptadas.
i) Alterações hormonais durante o ciclo menstrual.
A maioria das aftas dura em média de 1 a 2 semanas e costuma curar sem deixar cicatriz, porém, algumas pessoas apresentam aftas grandes, chamadas de aftas major, maiores que 1cm e profundas. Estas demoram até 6 semanas para desaparecer e podem deixar cicatriz. Existe ainda a afta herpetiforme, formada por múltiplas úlceras pequenas que se juntam e transformam-se em uma lesão grande.
As aftas podem vir acompanhadas de linfonodos no pescoço (ínguas), e por vezes, de febre baixa e mal estar.
O diagnóstico profissional Dado que se trata de um problema freqüente que geralmente não apresenta complicações, mas que incomoda, muitas pessoas optam por deixar que o processo siga seu curso normal utilizando paliativos para aliviar a dor. Uma consulta com o dentista ou médico estomatologista deve ser avaliada quando:
- a afta for excepcionalmente grande
- as aftas forem recorrentes com surgimentos de novas logo após a cicatrização das primeiras.
- a afta demorar mais de 3 semanas para cicatrizar
- houver sinais de infecção na área da afta
- houver sintomas sistêmicos que sugiram a presença de alguma doença
- houver febre
- houver úlceras também nos órgãos genitais
Quando se preocupar com uma afta?
Apesar de benigna na imensa maioria dos casos, a afta pode ser uma manifestação de doenças sistêmicas ou pode ser confundida com lesões graves como neoplasia da cavidade oral.
E qual o tratamento para a afta?
Não existe remédio milagroso para afta. Nenhuma substância cura a úlcera de um dia para o outro. Como a afta costuma durar até 2 semanas, os tratamentos atuais visam a acelerar o processo de cicatrização da lesão.
É importante distinguir as pomadas que contém apenas anestésicos, e portanto, servem apenas para alívio sintomático, daquelas com corticóides e antiinflamatórios em sua fórmula, que efetivamente podem acelerar a cicatrização.
Medicações sistêmicas e tópicas são mais comumente usadas, mas o uso de laser de baixa potência tem se tornado cada vez mais comum no tratamento de lesões aftosas e até mesmo de herpes.
Os benefícios clínicos trazidos pelos soft laseres estão relacionados à aceleração da atividade enzimática, aceleração na regeneração das artérias sanguíneas, melhora no fluxo sanguíneo e ativação dos tecidos vitais. São utilizados, portanto, como efeito analgésico antiinflamatório e bioestimulante
Na internet é muito fácil achar inúmeras receitas caseiras para tratar as aftas. Deve-se ter cuidado com o que se aplica na lesão para não aumentar a inflamação e piorar o quadro.