sábado, 11 de fevereiro de 2012

Odontopediatria Cuidados odontológicos para crianças


Para ter uma higiene bucal saudável pela vida inteira, é preciso começar a prevenir desde criança.

Os cuidados odontológicos podem começar já na gestação quando a futura mamãe é instruída sobre hábitos alimentares. Muitas vezes o medo faz com que algumas crianças, não queira ir ao dentista achando que vão ser machucadas. Com experiência no assunto a Dra. Renata Adorno faz com que a criança perca este medo e a pratica de ir ao dentista para cuidar dos dentes. Tornando a visita ao dentista (Odontopediatra) bastante humorada e divertida.
O que é a Odontopediatria?
Área da odontologia que visa monitorar a saúde e corrigir precocemente os desvios do padrão de normalidade desde cedo.
A prática da Odontopediatria faz com que a consulta seja agradável e simples para não causar panico nem traumas, a fim de que produzir sensações de bem-estar, higiene bucal e um lindo sorriso saudável.
Com que idade devo levar meu filho ao dentista?
A primeira consulta deve ser realizada antes do nascimento dos primeiros dentinhos, ou seja, antes dos seis meses de vida. O ideal seria que a mãe, ainda grávida, procurasse o seu dentista para que ele a orientasse quanto aos cuidados com a saúde bucal de seu bebê, pois os dentes começam a se formar ainda na barriga da mãe.
A mamãe será orientada pelo odontopediatra a respeito da importância dos dentes decíduos (dentes de leite), sobre os sintomas que acompanham o nascimento dos dentes, a importância da amamentação natural nos primeiros seis meses, uso racional da chupeta e da mamadeira, evitando a instalação de hábitos nocivos, etc.
Crianças pequenas podem ter cáries?
Sim, e com muita facilidade pois pelo fato de as crianças ainda serem pequenas não têm coordenação motora suficiente para realizar os movimentos corretos que irão limpar os seus dentes.
Fique de olho e auxilie.
Segundo o especialista em odontopediatria a criança em idade pré-escolar deve ser motivada pelos pais a fazer a escovação, um adulto que deve observar como a criança escova e orientá-la como se deve fazer. Essa atitude irá ajudar a educa-la na escovação incentivando que se deve escovar os dentes sempre após as refeições.
Além de permitir que a criança comece a escovar os próprios dentes e importante que ao menos 2 vezes no dia, preferencialmente após o almoço e antes de dormir um adulto ajude no final da escovação para remover a placa bacteriana e os restos alimentares, já que as crianças anda não tem maturidade e acabam brincando com a escova.
Lembre-se que importante elogiar a criança e faze-la com que esteja presente no momento em que os pais estejam escovando seus próprios dentes isso irá dar mais confiança ao pequeno(a).
Como deve ser a escovação? 
Os pais devem escolher uma escova de cabeça pequena, cerdas macias e arredondadas. A criança pode sentar-se no colo da mãe, quando muito pequena, ou então ficar em pé, de costas para a mãe e com a cabeça apoiada em seu peito. Com a mão esquerda a mãe afasta lábios e bochechas e com a direita executa movimentos circulares e de vaivém com a escova.
O creme dental não deve ser utilizado em crianças que ainda não saibam cuspir, evitando a ingestão do flúor, que poderá manchar os dentes permanentes em formação. Em crianças maiores, utilizar apenas uma pequena quantidade (tamanho de um grão de ervilha). O fio dental deve ser introduzido o mais cedo possível, criando o hábito de ser utilizado junto com a escova dental.
Quando e como a chupeta deve ser utilizada?
O odontopediatra avalia que quando o bebê suga o seio para mamar, não está apenas se alimentando, mas também satisfazendo o seu lado psicoemocional. Ele pode estar bem alimentado, mas não exerceu plenamente o ato da sucção. Quando isto ocorre, a chupeta deverá ser utilizada de forma racional, pois a freqüência e/ou o uso prolongado poderão causar alterações dentárias, desvios no crescimento dos maxilares e alterações na deglutição, respiração e fonação.
Ela não deve estar sempre á disposição da criança como se fosse um brinquedo, devendo ser oferecida somente após as mamadas e removida assim que o bebê adormecer. Evitar que a criança passe a noite toda com a chupeta na boca e jamais a pendure ao redor do pescoço do bebê com fita, corrente ou fralda, pois além de haver o risco de estrangulamento, pendura-la e deixa-la acessível favorecerá a instalação do hábito, que quanto mais tempo persistir, mais difícil será elimina-lo e mais danos poderá causar.